FAQ


FAQ2.jpg

Devido a tratar-se de uma área bastante técnica e especializada, é comum que existam dúvidas acerca da atividade do Psicólogo Clínico e da forma como este o(a) poderá ajudar. Por esse motivo encontrará nesta página, respostas a diversos assuntos que poderão esclarecê-lo melhor acerca da Psicologia Clínica e dos seus benefícios.

1. O que é psicologia?
Do grego, Ψυχολογία. Ψυχή (psique): alma; λογία (logos): palavra, razão, estudo. A Psicologia constitui um ramo da ciência que estuda os processos mentais, o comportamento e a interação do indivíduo ou do grupo dentro de contextos biológicos, sociais e culturais. Esta ciência tem origem na filosofia e alguns de seus conceitos foram inspirados em grandes pensadores, como Sócrates, Platão e Aristóteles. No final do século XIX, os acadêmicos distanciaram as ciências da psicologia, filosofia e fisiologia, dando origem à Psicologia Moderna. Atualmente, a psicologia colabora para diversas áreas do conhecimento e da saúde.

2. Qual o papel do Psicólogo?
O psicólogo é um profissional da área de saúde que visa melhorar a qualidade de vida do individuo e das relações entre as pessoas a sua volta. Tem como objetivo auxiliar as pessoas no processo de auto-conhecimento, a lidar com as dificuldades e conflitos, e construir junto com o paciente novas formas de enfrentar seus problemas. Em alguns casos, o psicólogo trabalha em parceria com outros profissionais da área da saúde. Desta forma, cria-se um grupo de trabalho, onde todos estão envolvidos para a resolução de um problema. Ele é capacitado para observar, conhecer, analisar e intervir, visando eliminar ou reduzir a queixa do cliente. Assim, utiliza-se de técnicas, de estratégias e de seu conhecimento sobre o comportamento humano para atingir seu objetivo.

3. O que é CRP? Qual sua importância?
O CRP (Conselho Regional de Psicologia) é o orgão que tem a finalidade de "orientar, disciplinar e fiscalizar o exercício da profissão de psicólogo, de acordo com o estabelecido na Lei Federal n° 5.766, de 20 de dezembro de 1971."[1]. Dessa forma, se torna de fundamental importância que o profissional de psicologia, para o exercício pleno da profissão, esteja devidamente cadastrado e regularizado neste orgão. Devendo também estar ciente das leis, normas e do código de ética que a regem.

4. Qual a diferença entre Psiquiatra e Psicólogo?

Muitas vezes ainda se confunde o Psicólogo Clínico com o Psiquiatra, pelo fato de ambos intervirem ao nível da saúde mental. Contudo, ambos têm formações e funções bastante diferentes. O Psiquiatra é graduado em Medicina com especialização em psiquiatria, enquanto o Psicólogo é graduado em Psicologia. O Psiquiatra diagnostica e trata os transtornos mentais e é apto a receitar medicamentos. O Psicólogo estuda o comportamento humano, seus pensamentos e sentimentos. Porém, as duas áreas estão interligadas e normalmente trabalham juntos quando necessário. O psicólogo possui conhecimentos aprofundados na área do diagnóstico, avaliação e intervenção psicológica. O Psicólogo não prescreve medicação, mas tem competência para aconselhar os seus pacientes acerca de alguns aspectos específicos que impliquem a utilização correta ou incorreta da medicação. Devido a conhecer inúmeras técnicas psicológicas, a sua função é ajudar o paciente a adquirir um estilo de vida mais alegre e satisfatório.

5. O que é psicoterapia?
A Psicoterapia é um método de tratamento de problemas psicológicos e emocionais, baseado no conhecimento científico do funcionamento psicológico. Consiste em sessões regulares semanais (o mínimo aconselhado é uma sessão de 50 min. por semana), em que o paciente tem a oportunidade de ampliar suas possibilidades de compreensão e de entender melhor suas características, potencialidades e limites, a fim de utilizar este conhecimento em prol de sua estabilidade emocional e na efetivação de escolhas mais conscientes.Com a frequência das sessões, estabelece-se uma relação de confiança entre o paciente e terapeuta, que permite ao paciente expor as suas dificuldades de um modo franco e livre, assim como recordar e abordar memórias dolorosas da sua história de vida.

6. Nunca fiz psicoterapia. Como funciona?
No consultório do psicólogo, o paciente fala sobre suas angústias, ansiedades, medos e sonhos. O principal objetivo da psicoterapia é ajudar o paciente, através de seus próprios meios, a encontrar equilíbrio emocional e uma maior compreensão de si e de seus conflitos. A maior parte dos psicólogos trabalha com a fala, embora existam recursos como arteterapia, dramatização, entre outros. A proposta é criar um espaço onde a pessoa possa se sentir livre para abordar as questões que considera importantes. Os conteúdos não são estabelecidos previamente e o psicólogo trabalha a partir daquilo que é trazido pelo cliente, podendo fazer perguntas, se julgar necessário alguma informação específica. Espera-se que o paciente possa assim desenvolver seu crescimento pessoal e aumentar sua qualidade de vida.

7. E se eu não gostar da psicoterapia?
Num primeiro momento é prudente considerar se realmente não gostou da terapia ou se falar sobre seus problemas é difícil demais para você. Se este for o caso, recomendamos persistência. Outro fator importante é a simpatia com o profissional e com sua forma de trabalho. Caso não se sinta à vontade com determinado profissional, não hesite em fazer uma entrevista com outra pessoa. Se realmente não gostar do processo terapêutico, sempre há a possibilidade de interrompê-lo a qualquer momento.

8. O psicoterapeuta irá me dar conselhos, dizer o que é certo ou errado?
Não é função do psicólogo dizer se a pessoa está certa ou errada (não há julgamentos), e sim, junto com ela, encontrar soluções para uma situação conflituosa, permitindo que medos, inseguranças e defeitos sejam tratados de forma natural, sem serem discriminados. O psicólogo irá ajudá-lo a resgatar e construir valores para que você saiba distinguir o que é certo ou errado, bom ou ruim para sua vida.

9. É normal ter dificuldades em falar na primeira consulta?
É perfeitamente normal. Nas consultas iniciais o paciente sente normalmente nervosismo e alguma timidez, que resulta do receio de se expor e também da expectativa que traz em relação à consulta.

10. Poderei ter uma única consulta, para ter aconselhamento sobre o meu caso?
Pode. Ao ter uma consulta inicial será analisado o seu caso e, no final da consulta, serão abordadas as diversas opções e formas de resolução do seu problema. A decisão de optar pelas soluções propostas pelo psicólogo para resolver o seu caso é sempre sua.

11. Que perguntas faz o psicólogo?
Um psicólogo faz perguntas com o objetivo de entender/avaliar de diferentes ângulos o problema que o paciente lhe apresenta. Esta atitude é uma forma de obter mais informação, para poder ajudar o paciente e também aliviar a sua ansiedade.

12. Quanto custa fazer psicoterapia?
O valor da consulta e a forma de pagamento são combinados com o profissional na primeira entrevista. O preço varia muito de profissional para profissional. A maioria dos profissionais reserva alguns horários para pacientes com menores possibilidades financeiras. É importante lembrar que o valor cobrado não tem relação alguma com a qualidade do trabalho realizado.

13. Sou estudante de Psicologia vocês possuem um plano diferenciado para o estudante fazer terapia ?
Sim. Disponibilizamos de planos especiais para estudantes e Recém-Formados em Psicologia. Para obter maiores informações entre em contato conosco. Teremos um enorme prazer em poder atendê-los !

14. Vocês trabalham com convênios?
Atendimento apenas por reembolso. Não temos credenciamento com convênios, pois dificilmente eles incluem psicólogos, mas a partir de 7 de junho de 2010 graças à Resolução Normativa nº 211 da ANS a psicoterapia terá a cobertura ampliada. Você tem o direito de solicitar reembolso ao seu convênio de até 40 sessões por ano.

15. Quanto tempo dura a sessão de psicoterapia?
Cada sessão de psicoterapia dura, em média, 50 minutos.

16. Com que idade deve-se iniciar uma terapia?
Não existe uma idade certa. Se os pais ou a escola perceberem que a criança não está feliz, apresenta alguma dificuldade em seu desenvolvimento ou em relacionar-se com as pessoas ou com o mundo, devem buscar um apoio psicológico.

17. Como funciona a psicoterapia com crianças?
A linguagem emocional da criança é diferente da do adulto. A psicoterapia com crianças é feita através da ludoterapia. Na sala de terapia infantil, cada criança dispõe de uma caixa de brinquedos previamente selecionados: brinquedos com aspectos agressivos, construtivos, estruturados, primitivos, etc... O terapeuta infantil observa a escolha dos brinquedos, o modo como a criança expressa seus conflitos na brincadeira com ele. Através desse brincar que as crianças expressam seus sentimentos e emoções, claro que a verbalização é muito importante, mas mesmo quando não há verbalização por algum motivo, há a expressão dos sentimentos e do que é vivenciado por essa criança. A presença dos pais ou responsáveis durante todo processo é muito importante, para a orientação dos mesmos, e para que possa acompanhar a evolução da criança, e assim contribua na manutenção dessas mudanças.

18. Os pais são culpados pelos problemas emocionais dos filhos?
Muitas vezes os pais acreditam que falharam em algum ponto quando seu filho apresenta alguma dificuldade emocional. Filhos são antes de tudo seres humanos que sentem, vivem, se alegram e se angustiam assim como seus pais. E por outro lado os pais por mais dedicados e amorosos que sejam, também possuem limitações. Nessa hora, buscar a ajuda e a orientação de um psicoterapeuta será bom, tanto para a criança quanto para os pais, que poderão depositar e dividir suas inseguranças com um profissional apto a ajudá-los.

19. A escola indicou psicoterapia para o meu filho, e agora?

Será na escola onde a criança normalmente apresentará suas dificuldades emocionais simplesmente por ser a escola um espaço social/relacional, e é na produção e na relação que o emocional na maioria das vezes se manifesta. É muito importante que os pais tenham uma relação positiva e de confiança com a escola. Vale, também, que mantenham sempre abertos os canais de comunicação para que as partes conversem e troquem informações.

20. Como funciona a terapia de casal?
A terapia de casal pode ser realizada para todos os casais em geral (casados, namorados, noivos.) e tem como objetivo ajudar estes casais em momentos de crise, contribuindo assim para uma melhor comunicação entre ambos e compreensão. As sessões de terapia de casal são realizadas sempre com os dois presentes, pois se há dificuldades nessa relação, é necessário que se escutem para que um possa saber como e o que o outro pensa e sente.

21. Terapia é coisa para pessoas frágeis?
Não, muito pelo contrário,é perfeitamente natural que em algum momento da sua vida, necessite dos conhecimentos e experiência de um profissional da Psicologia Clínica. É preciso ter muita força e coragem para buscar ajuda e se dispor a lidar com acontecimentos difíceis da vida quando na verdade o desejo é esquecê-los. Converse com pessoas que fazem ou já fizeram terapia e verá que ela não tem nada de frágil, ao contrário, são muito fortes.

22. As informações abordadas nas sessões são sigilosas?
Sim. O sigilo é a base da confiança e é indispensável.Ele é uma das condições impostas pelo Código de Ética Profissional do Psicólogo.Inclusive, o psicólogo não pode divulgar a ninguém qualquer tipo de dados sobre os pacientes que acompanha. Desta maneira, o paciente pode falar tudo para o seu psicólogo, porque não há razões para se sentir incompreendido ou recriminado por seus pensamentos e comportamentos. Logo, é permitido que todos os assuntos possam ser tratados na terapia. O que é observado na prática, é que há um tempo natural para a construção de um vínculo no qual questões mais íntimas sejam expostas.

23. Estou bem, mas quero fazer uma terapia. Existe alguma contra indicação?
Não existe nenhuma contra indicação. Muitas pessoas fazem terapia porque gostam e desejam se conhecer melhor, e outras pessoas solucionam sua queixa inicial, mas continuam no processo. O trabalho psicoterapêutico feito por um bom profissional não pode te prejudicar, somente ajudar.

24. Quando devo procurar um psicólogo?
Deve procurar um psicólogo se estiver numa destas situações:
- sente-se frequentemente triste
- está frequentemente muito ansioso
- sente-se infeliz ou com problemas nos relacionamentos
- sente que o seu dia-a-dia é muito estressante e não consegue mudar e adotar uma atitude mais positiva
- sente-se impotente em alterar o rumo da sua vida para uma forma mais positiva
- tem baixa auto-estima
- está deprimido
- sente ataques de pânico ou fobias
- tem medos
- tem dificuldade em estabelecer e manter relacionamentos
- está confuso
- está sofrendo de sintomas físicos provocados pelo estresse
- toma medicação para a ansiedade
- está passando por um divórcio ou fim de relação
- pretende ter maior compreensão a respeito de si próprio e das formas como se relaciona com os outros
- sente que ninguém o compreende
- sente-se bem, mas gostaria de desenvolver mais aspectos da sua personalidade e compreender-se melhor
- tem problemas com o seu companheiro(a)
- o seu filho tem problemas de comportamento ou escolares.

25. Tenho 50 anos, e gostaria de começar uma terapia. Agora é muito tarde?
Não existe idade certa para buscar um apoio psicológico. Em qualquer que seja a idade os resultados são só mesmos: autoconhecimento, ampliação e resgate da qualidade de vida. As pessoas procuram psicoterapia em diferentes fases da vida, de acordo com a necessidade ou quando se sentem preparadas.

26. Qual a diferença entre conversar com um psicólogo e desabafar com um bom amigo ?
São dois tipos de ajuda diferentes. O psicólogo terá sempre um olhar mais abrangente e diferenciado. O psicólogo dedica-se a estudar não só o que é dito, mas o como é dito e também o que não é dito. Tem um treino em fazer associações entre os eventos presentes e a história de vida do cliente, conhece sobre as fases do desenvolvimento e pode detectar mais profundamente traumas e como esses traumas podem estar influenciando nos acontecimentos atuais da vida do cliente. Um bom amigo ajudará com bom senso e suporte, o que é muito bem vindo, mas dificilmente substituirá o trabalho de um psicoterapeuta.

27. O psicólogo irá resolver meus problemas?
Não. O psicólogo vai ajudar a enxergar seus problemas sob diferentes ângulos, refletir sobre eles, questionar sua participação na manutenção de situações que trazem sofrimento. Desta forma, você mesmo terá condições de resolver seus problemas, alcançar soluções mais criativas e eficazes, ou aprender a conviver melhor com eles.

28. Quanto tempo demora um tratamento psicoterapêutico?
Não há ao certo como prever a duração de um processo de psicoterapia, pois esse fato varia de pessoa para pessoa e de caso a caso. O paciente é encarado como um ser único. Assim, não há uma fórmula pronta. O tempo do processo terapêutico depende do grau de sofrimento de cada indivíduo,além do comprometimento por parte do paciente com o processo e reflexões.No entanto, algumas pessoas buscam a terapia para solucionar uma questão específica, e satisfazem-se tendo esta questão resolvida. Outros, buscam autoconhecimento e desenvolvimento pessoal, e acabam fazendo terapia por um longo tempo. Na maioria das vezes, o que ocorre é que as pessoas passam a gostar de fazer terapia, e em geral mesmo tendo a queixa inicial resolvida desejam permanecer por mais tempo no processo terapêutico

29. Como pode o tratamento psicoterapêutico ajudar-me?
Com a psicoterapia, o paciente adquire:
- um aumento da auto-estima- uma maior capacidade de lidar com o seu dia-a-dia
- um desenvolvimento das suas capacidades e competências
- novas posturas em relação a si mesmo e aos demais
- um maior e  profundo conhecimento de si mesmo (auto-exploração)
- maior capacidade de lidar com os problemas que o faziam sofrer
- uma compreensão maior dos problemas que afligem o paciente e da história de vida que conduziu a eles
- um aumento da criatividade
- aumento da sensação de satisfação pessoal (sente-se melhor consigo próprio: menos confuso, menos culpado)
- aumento da expectativa de sucesso do paciente (começa a ver as coisas de forma mais positiva, e menos negativa)
- maior capacidade para se iniciar novas experiências pessoais (começa a arriscar mais, a experimentar fazer novas coisas, novos projetos, novos hobbie).


Caso tenha alguma dúvida que não foi exposta nesta seção, sinta-se à vontade para perguntar na página de contato. Não há identificação do autor da pergunta caso ela seja divulgada nesta seção.